Valorant: 15 dicas de como jogar bem para iniciantes

 Conhecer agentes, armas, mapas e habilidades são pontos fundamentais para evoluir no FPS da Riot Games

Viper no Valorant — Foto: Divulgação

Um dos lançamentos recentes da Riot Games, Valorant é um FPS que segue ganhando espaço na comunidade, atraindo muitos jogadores novatos nesse gênero. Para ajudar, o ge preparou um guia com dicas para iniciantes, que fazem menção tanto a questões básicas de qualquer jogo de tiro quanto a elementos específicos do Valorant.


Mire na cabeça!


Assim como acontece pelo menos em todos os principais jogos de tiro, atingir o oponente na cabeça, região mais difícil de acertar, inflige muito mais dano. A Vandal, por exemplo, causa 40 de dano no peito/braços do oponente e 34 nas pernas. Na cabeça, o dano é de 160, mais que suficiente para abater mesmo o inimigo mais bem protegido (com 100 de vida e 50 de escudo).


Conheça o “recoil” da arma


Por conta dos “coices” que o atirador leva ao disparar, cada arma tem um padrão único de direcionamento dos tiros durante os sprays – as rajadas. Em Valorant, se você gastar o pente inteiro de um rifle de uma vez só em uma parede, recarregar a arma e fizer isso novamente, o “desenho” das balas no local será o mesmo. Por isso, faz parte da vida dos jogadores tentar decorar pelo menos parte desse padrão nas principais armas – entender o “desenho” básico de dez a 15 balas dos pentes já ajuda bastante.


Os motivos para isso são simples: decorar o padrão de um pente de 30 balas seria muito mais difícil; o início do padrão dos pentes geralmente envolve principalmente um movimento principalmente para baixo, algo muito mais simples que os intensos movimentos horizontais dos finais de sprays de algumas armas; e, num mundo ideal, mesmo iniciantes devem tentar gastar o mínimo de balas para abater um oponente.


Se o spray não encaixar, talvez valha mais a pena reposicionar a mira e começar outra rajada do zero do que brincar com a sorte e segurar o dedo até esvaziar o pente. Pode parecer contraproducente, mas isso envolverá a tentativa de reforçar o padrão do início dos sprays em vez da dependência da sorte, o famoso “spray and pray” (atirar e rezar).


Vai no 'xiu'


Nesse tipo de jogo, som é uma informação extremamente valiosa! O barulho dos passos pode acidentalmente entregar informações importantes sobre a movimentação do seu time em determinada parte do mapa, algo que pode ser evitado enquanto os jogadores caminham em vez de correr. Isso reduz a chance de o time oponente começar a preparar um ataque ou defesa reforçada na localização em que o barulho for expressivo.


Há, inclusive, mapas com áreas específicas em que os passos têm sons muito mais difíceis de camuflar, como o Esgoto em Split (o raio de alcance do som não muda, mas o som dos passos no Esgoto é bem único e o oponente certamente entenderá onde o inimigo está no momento).


Atirar parado


Valorant é um jogo que não está nem tanto para o Counter-Strike: Global Offensive, que premia quase estritamente os jogadores que não andam/correm enquanto atiram com as armas mais pesadas, nem para o Overwatch, em que está tudo bem atirar enquanto se movimenta.


As “patinetadas” – momentos em que os jogadores conseguem acertar tiros fatais com certa facilidade enquanto correm – já renderam muitas críticas e cuidados especiais dos desenvolvedores, que reduziram sua recorrência (ainda que continue não sendo raro ver isso acontecendo). Há armas em que há menos punição pelas patinetadas – principalmente as leves, como pistolas.


Agachar para atirar


Uma ação que também pode colaborar com a precisão é agachar, algo que deixa o padrão de spray das armas um pouco mais sutil (o desenho de fato não muda, mas os coices ficam um pouco mais fracos). É uma mecânica bastante comum em jogos desse gênero.


Apesar disso, também é um comportamento que pode oferecer uma desvantagem principalmente em partidas com jogadores iniciantes: ao estarem desacostumados com os conceitos do posicionamento de mira, jogadores que antes miravam em seu peito podem acabar atingindo sua cabeça e abatê-lo mais facilmente se você agachar durante o confronto.


Habilidades


Conhecer as habilidades dos personagens também é importantíssimo para um bom desempenho no jogo. Além de entender o que seu próprio personagem pode fazer e tirar proveito disso individualmente ou em uma jogada em equipe, essa também é uma medida que faz com você saiba o que esperar das habilidades dos oponentes. A partir disso, também ficará muito mais fácil antecipar possíveis estratégias do outro time e desenvolver jogadas mais eficazes.


Uso de zoom com rifles automáticos e submetralhadoras


Em Valorant, o jogador pode dar um tipo de “zoom” com algumas armas ao apertar o botão direito do mouse. Apesar de tentador, já que isso deixa o oponente maior na tela e, em tese, mais fácil de atingir, a ferramenta deve ser usada em momentos específicos.


O motivo principal é que ao ativar o zoom as armas passam a funcionar de maneira diferente, e a maioria delas começa a atirar mais lentamente e com o spray levemente diferente. Bulldog e Stinger, diferentemente, passam a atirar no modo ‘burst’ (três tiros por vez), algo que pode ser bem usado por jogadores mais experientes mas que pode ser bem estranho para iniciantes.


Por isso, a ideia é tentar usar a ferramenta principalmente para ações rápidas, como abrir um ângulo, usar a ferramenta, disparar e recuar, ou aproveitando alguma vantagem posicional para cravar a mira com o zoom, atirar e se reposicionar, sem insistir em atirar por muito tempo. Outra alternativa é usar a ferramenta para dar tiros únicos (os “one taps”) com armas poderosas.


Conheça as armas

Armas de Valorant — Foto: Reprodução

Valorant conta com 17 armas de fogo disponíveis para compra no início de round atualmente, mas algumas delas são usadas esporadicamente – ou nunca – por grande parte dos jogadores. É importante ter noção do meta do jogo e entender, por exemplo, que armas são mais fortes, precisas e/ou caras, por exemplo, para entender o momento correto de usá-las ou de recorrer a alternativas mais baratas e complicadas de usar. Entre as armas mais usadas atualmente, contamos com Classic, Ghost, Frenzy, Sheriff, Spectre, Vandal, Phantom e Operator.


Vale apontar mais duas dicas dentro dessa: uma é que você pode revender, no tempo de preparação, os itens comprados no round atual. Com isso, você pode comprar e experimentar armas para conhecê-las melhor sem necessariamente precisar usá-las naquele round.


Outra dica é que o menu de compras também tem informações bastante completas sobre cada arma, bastando passar o mouse em cima de cada uma delas para saber os detalhes e diferenças entre os equipamentos.


Conheça os mapas


Valorant foi lançado com três mapas – Split, Bind e Haven –, e posteriormente ganhou dois, Ascent e Icebox. Ainda mais sem um sistema que permita ao jogador escolher os mapas em que quer jogar, é importante ter alguma noção sobre os cinco.


No mundo ideal, o jogador terá noção dos nomes de posições em todos os mapas e também pensará no mapa atual na hora momento de escolher seu agente. Na prática, isso não pode ser cobrado principalmente de iniciantes – são muitos mapas, muitas posições e diferentes composições de time possíveis.


Ainda assim, aprimorar esse tipo de conhecimento invariavelmente ajudará o jogador a se posicionar melhor, melhorando suas chances de sobreviver e de colaborar com o time.


Composição do time


Em Valorant, a composição do time tem grande importância por conta do tipo de impacto que as habilidades de determinados personagens pode ter. E isso não só pensando nos agentes em si, como também no mapa e no lado em que seu time começará jogando. Diferente do Overwatch, jogo em que você pode trocar de personagem constantemente durante as partidas, Valorant permite que você escolha o seu agente apenas uma vez.


Com isso, o time que começar atacando pode optar por uma composição mais agressiva para tentar capitalizar nessa primeira metade da partida, enquanto times que começam defendendo podem dar mais atenção a uma composição com mais habilidades de vigilância e controle de posição.


Comunicação


Esse talvez seja um ponto um pouco triste. Num mundo ideal, a dica é simples: comunicação é importantíssima em qualquer jogo em equipe! Ajuda a coordenar a movimentação, preparar estratégias de início de round, adaptar as jogadas diante do que tem acontecido, e tudo isso acontece mais facilmente se todo mundo falar.


No entanto, sabemos que não é difícil encontrar jogadores tóxicos nas partidas e, não raro, há quem já comece as partidas bloqueando a comunicação dos outros para evitar o desprazer justamente em um momento de lazer e diversão. Ainda assim, vale reforçar que, mesmo na pior das hipóteses, o jogo tem um sistema de “ping” que pode ajudar com a comunicação dos jogadores sem depender de textos ou conversas por voz.


Economia


Jogos em que os personagens precisam adquirir os itens usados na rodada oferecem um enorme desafio a mais: o que comprar, em que momento, e por qual motivo? Nem sempre há uma resposta fácil, mas a dica básica é que os jogadores saibam de quantos créditos (a unidade monetária de Valorant) precisam para fazer a próxima compra completa, e se será necessário economizar no round atual. Para facilitar, o jogo ainda explica quantos créditos você terá, no mínimo, no próximo round.


Sobre os ganhos de créditos: o time que vence o round fatura três mil créditos, enquanto o time que perde um round pela primeira vez desde o começo do jogo ou desde a última vez que ganhou um round ganha 1,9 mil. Se for o segundo round na sequência, 2,4 mil; para o terceiro round na sequência, 2,9 mil. Plantar a spike rende 300 créditos para cada jogador do time atacante, enquanto abates rendem 200 créditos ao atirador. Por fim, o jogador que perder o round e continuar vivo (ou seja, o atacante que não armou a spike ou o defensor que não a desarmou e se escondeu) é penalizado e ganha mil créditos.


Tempo


Quem nunca perdeu um round pela falta de tempo para terminar a execução de uma jogada? A verdade é que tempo é um fator crucial em Valorant, mas muitas vezes fica em segundo plano e custa o round ao time atacante, que não consegue completar uma jogada, ou defensor, ao demorar demais para abater os oponentes e desarmar a spike.


Em Valorant, os jogadores têm 30 segundos (ou 45 no primeiro round de cada metade) para fazer suas compras, se posicionar e definir possíveis táticas. Com o início do round, o time atacante, por exemplo, não necessariamente precisará atacar de maneira fulminante, pois há bastante tempo para desenvolver alguma estratégia – são 100 segundos de round se a spike não for armada. Mas não é incomum que o round seja lento suficiente para o time atacante gastar quase todo o tempo sem conseguir muita informação, nem definir o que fazer.


Ao armar a spike, o time defensor tem 45 segundos para retomar a área e desarmar o explosivo, ação que demanda sete segundos do jogador (o que pode ser dividido em dois momentos de desarme, cada um com 3,5 segundos).


Pratique e aqueça a mira


Para conhecer as armas, aquecer e afiar a mira, Valorant oferece duas opções interessantes: o modo de jogo Mata-mata e a área 'Teste de tiro', disponível no modo de treino. Mata-mata é um velho conhecido de jogadores de FPS, com um servidor cheio de jogadores que trocam tiros com armas de sua escolha e renascem constantemente até um deles chegar à pontuação máxima (40 abates, no caso de Valorant) ou o tempo acabar (nove minutos). É um modo frenético, jogado aleatoriamente em um dos cinco mapas oficiais da rotação, e com oponentes humanos aparecendo o tempo todo.


A área de teste de tiro, por sua vez, funciona como um estande em que você pode adicionar robôs que agirão da maneira que você determinar para praticar a mira. Eles podem aparecer aos montes ou de um em um, podem ficar parados ou se movimentar lateralmente, e também há um tipo de “corrida” para você abater o máximo de robôs rapidamente. Pode parecer menos atraente por não ser um modo em que você combate oponentes reais, nem joga em um dos mapas oficiais, mas é uma opção bastante utilizada inclusive por profissionais.


Strafe e counter-strafe


Para finalizar, essa é uma dica um pouco mais avançada, mas que explica parte dos tiros que eventualmente consideraremos uma “patinetada” de maneira injusta.


Em jogos de tiro, o strafe é um movimento lateral feito rapidamente pelos jogadores (apertando os tradicionais A e D, indo para um lado e para o outro) em grande parte do tempo para obter informações em uma região do mapa sem ficar completamente exposto. É uma ação recorrente e que, se mal executada, pode expor o jogador e fazê-lo levar muitos tiros antes de se esconder novamente. E dependendo da arma usada, a movimentação do personagem abala consideravelmente a precisão dos disparos, diminuindo a eficácia do strafe para o momento do combate, mas é aí que entra o counter-strafe.


Essa ação nada mais é do que uma desaceleração forçada do personagem durante o strafe mandando-o brevemente para a direção oposta: ou seja, em vez de simplesmente soltar a tecla D para parar de correr para a direita e esperar o agente desacelerar lenta e naturalmente, você aperta brevemente o A para forçar uma freada mais rápida. Com isso, o agente recupera a precisão do tiro mais brevemente e, dessa maneira, jogadores conseguem dar tiros que só parecem com uma patinetada, já que muitas vezes a impressão é de que eles atiraram enquanto ainda corriam de lado, sendo que na verdade eles já haviam desacelerado o suficiente para atirar com precisão!










Fonte: globoesporte

Postar um comentário

Deixe o seu comentário! ;)

Copyright © Maratonando. Todos os direitos reservados | F.H |